Imagem via TheLondoPhile

Você sabia que alguns cachorros tem medo de andar de avião? Pois bem, eu sou um deles, mas isso nunca me impediu de visitar o mundo todo pelo computador. Como CEO da contain[it], preciso estar sempre buscando referências no mundo da arquitetura, e as vezes me deparo com algumas ideias muito curiosas.

Hoje, separei três intervenções urbanas bastante exóticas para mostrar no blog. A princípio, elas parecem obras sem muito sentido, perdidas pelas cidades, mas possuem um significado oculto que valoriza a sua existência!

Vacas por todos os lados

A primeira delas é bem conhecida em pelo menos dez cidades brasileiras. Muitas pessoas já se depararam na rua com vacas em tamanho real, feitas por fibra de vidro e com intervenções artísticas bem diferentes: a CowParade.

A CowParade é uma exposição que acontece em várias cidades do mundo, onde artistas locais são convidados a decorar vacas de fibra de vidro, que então são espalhadas pela cidade. Cada vaca recebe uma personalidade, e no fim da exposição elas são leiloadas, com o dinheiro sendo destinado a instituições de caridade.

Os modelos originais dos animais foram feitos pelo escultor suíço Pascal Knapp, e estima-se que mais de 500 milhões de pessoas tenham visto essas intervenções. A última edição aconteceu em Goiânia, no ano de 2012.

Os canos rosas

A cidade de Berlim é marcada por muitas intervenções artísticas e arquitetônicas, como o traçado do Muro de Berlim que corta a cidade, a East Side Gallery e Molecule Man. Mas uma das grandes intervenções que moradores e turistas podem ver na cidade são os tubos rosas que se espalham e se contorcem pela capital alemã.

A origem dessa intervenção está ligada a própria estruturação de Berlim. Acontece que a cidade foi construída em cima de um pântano, e era preciso algum jeito de drenar constantemente o terreno alagadiço da cidade. Os canos, então, foram instalados com essa função, e são responsáveis por ela não afundar. Como até as áreas mais visitadas de lá precisam dos canos para se manter estáveis, pintaram de uma cor mais lúdica, tornando os canos pontos turísticos por si sós.

Metendo o nariz onde não é chamado

A última intervenção de hoje é uma exclusividade da cidade de Londres. No ano de 1997, 35 próteses em forma de narizes surgiram nas paredes de edifícios famosos da capital britânica, sem nenhuma publicidade ou origem. Vários rumores começaram a surgir, até que o responsável foi encontrado: as intervenções foram criadas pelo artista Rick Buckley, como uma crítica ao governo que decidira instalar câmeras de monitoramento pela cidade, para “farejar” os moradores.

Desde o surgimento desses objetos estranhos, 25 deles acabaram sumindo, e dez ainda restam para ser observados pela cidade, conhecidos agora como “Os narizes de Londres”, ou “Os sete narizes do Soho”. O mais famoso deles está no Admiralty Arch, um edifício que é rota dos guardas montados a cavalo durante a cerimônia de troca da guarda, e é comum que eles toquem no nariz na cerimônia como símbolo de sorte! Dizem ainda que os viajantes que encontrarem todos os dez terão muita sorte em suas vidas. 

Imagem via Panoramio

Imagem via Panoramio

Comment